Chrono Cross

Chrono Cross

Lançamento: 15/08/2000 NA
"Incrível"

Uma obra prima que ultrapassa gerações de consolesAnálise Oficial

Chrono Cross não fez tanto sucesso quanto seu antecessor, mas provou ao mundo que um RPG de verdade não é só feito de grandes nomes na equipe de desenvolvimento, mas sim de trabalho árduo e feito de coração.
Por Marcelo Hillesheim, publicado em 03 de Abril de 2018
Analisado no PlayStation

Chrono Trigger apareceu ao mundo e sua equipe foi nomeada de “Equipe dos sonhos”, como Hironobu Sakagushi (criador de Final Fantasy), Akira Toriyama no Character Design (criador de Dragon Ball) e Yuji Hori (criador de Dragon Quest), todos eles grandiosos por seus projetos anteriores.

O nome dos integrantes chamou a atenção do mundo e quando lançado, Chrono Trigger dominou o planeta inteiro, trouxe novo sistema de batalha e cativou a todos, mas em Chrono Cross, a equipe se desfez, mesmo tendo todos prometido trabalharem na sequência do sucesso Chrono Trigger e somente Hironobu Sakagushi, manteve o projeto vivo.

Cinco anos se passaram desde o anuncio de Chrono Cross, seguido do seu silêncio e então o game surgiu no PlayStation da Sony e deixou a todos de boca aberta!

Sakagushi foi contra todos os princípios de Chrono Trigger e tornou esse um novo game, apenas com um link para a história anterior.

Chrono Cross trouxe mais de 40 personagens jogáveis, um RPG tradicional com leves inovações e gráficos que na época, deixaram o seu concorrente, também de Sakagushi, Final Fantasy IX, no chinelo.

A história complexa foi ilustrada por cenas CGs que possuem um trabalho nunca visto numa animação para os vídeo games até aquele momento. Um trabalho extremamente detalhado nos mais pequenos cantos e uma trilha sonora que marcou os gamers até os dias de hoje.

Se você procurar por análises, resenhas, reviews, chame de como quiser, encontrará somente notas altíssimas para esse trabalho e aqui, não poderia ser diferente. Nós jogamos, avaliamos e agora trazemos para você, um clássico que ficou e continuará na história dos games.

A história começa com Serge, personagem principal da trama, em sua aldeia, vivendo com sua mãe, tudo perfeito. Serge é um jovem garoto de 17 anos que adora combates, mas tem sua vida mudada, quando vai em uma missão e chega a uma praia. Serge sente algo estranho e ele parece se desprender da areia e cair numa imensidão negra retomar a situação, Serge está no mesmo lugar e começa a perder a consciência, onde cai sobre a areia da praia.

Pensando não ser nada importe, ele desperta e volta para aldeia, onde ninguém mais o reconhece e conversando com uma jovem garota, a mesma que deveria ser sua namorada, descobre que na verdade ele morreu de causas misteriosas a 10 anos atrás, obviamente, adorado por todos, eles ficam irritados com Serge, que tenta convencê-los de ele está vivo, que na verdade está ali, diante dele. Ai é que a jornada de Serge começa e ele conhece uma garota, extremamente misteriosa, chamada Kid que procura pela Chama Congelada, um artefato, que segundo ela, permite viajar no tempo e no espaço, pular por dimensões e ai as coisas começam a fazer mais sentido para Serge, aquela dimensão, não é a dele.

Isso que contei, é apenas o começo da história e ela é muito mais complexa que isso envolve outras dezenas de personagens, entre eles Lynx, misterioso e diferente, nas duas dimensões, mas não vai ser eu quem vai lhe revelar essa maravilhosa aventura.

Vamos falar sobre o jogo. O mundo de Chrono Cross é gigante e como tem duas dimensões, os cenários podem estar alterados, dependendo da dimensão que se encontra, os fatores da história influenciarão nisso, dependendo de personagens que você aceita para entrar em sua equipe, outros não entraram, por pura rixa, ou por mudança na história por ter escolhido determinado personagem.

As cidades são várias e as pessoas nelas também, cada cenário tem algo em especial, quando se trata de inimigos, que aliais, estão espalhados visivelmente pelo cenário.

Quanto ao sistema de batalha, é semelhante ao sistema tradicional de RPG, mas traz modos de funcionamento diferente. Todas as batalhas possuem elementos e você pode mudar os elementos do campo, fazendo com que suas magias e ataques fiquem mais fortes, ou que os ataques do inimigo, fiquem mais fraco e essa interatividade no campo de batalha é que chamou a atenção de muitos gamers.

Com gráficos maiores e mais bonitos que a maioria dos RPGs da época, o campo de batalha também se destacou por seus efeitos visuais e sonoros, que ficaram detalhadamente trabalhados e para acompanhar esse trabalho, animações dos personagens foram detalhadas também. Lembre-se que são mais de 40 personagens que você pode selecionar para ter em seus campo de batalha (sempre 3 personagens por vez), e todos eles com suas armas específicas e animações únicas, uma coisa praticamente inédita.

Os personagens também possuem ataques especiais, conhecidos na série Final Fantasy como Limit Breaks, pois bem, estão aqui também e claro, cada um com o seu.

Os inimigos possuem uma inteligência padrão, algo usado na época em todos os Final Fantasys que existiam e que não é ruim, mas não é algo exclusivo em cada inimigo.

"Incrível"
Chrono Cross
O lado bom
  • Mais de 40 personagens completamente jogáveis.
  • História jamais vista antes em nível de complexidade e beleza.
  • CGs trabalhadas de forma maravilhosa!
  • Gráficos pra época em que foi lançado podem ser considerados os mais belos!
O lado Ruim
  • O baixo investimento no game fez com que o mundo não conhecesse toda sua capacidade e tornou esse título desconhecido para muitos fãs de Chrono Trigger.

Conclusão

A trilha sonora Yasunori Mitsuda que trabalhou em Chrono Trigger e trouxe a Chrono Cross a influência do seu antecessor, mas com um toque a mais e único com violinos e violões em músicas extraordinárias.

Definitivamente, este é um dos mais completos e perfeitos RPGs já criados no mundo dos games e como tal, jamais será esquecido.

Comentários
Para comentar é necessário estar logado.
Nenhum Comentário Encontrado