Crisis Core: Final Fantasy VII

Crisis Core: Final Fantasy VII

Lançamento: 23/03/2008 NA
"Incrível"

Análise de Crisis Core: Final Fantasy VII: Uma história até então não contada

Crisis Core: Final Fantasy VII trás uma história até então não revelada na saga Final Fantasy. A história do homem que deu a vida para termos uma lenda, Cloud Strife, e assim, se tornou uma lenda também. Seja bem vindo a história de Zack.
Por , publicado em 30 de Junho de 2019
Analisado no PlayStation Portable

A Square Enix trouxe o que os fãs queriam, a verdadeira origem sobre Zack. O game mostra desde que ele era um jovem adolescente, querendo se tornar um soldado de primeira classe dentro da organização Shinra.

Angeal

No game, Sephiroth, um soldado ainda amado e invejado por todos da Shinra, ajuda Zack em diversas situações. Zack por sua vez, possui um supervisor, Angeal. Um soldado de primeira classe que faz de tudo para ajudar ele a entrar na linha de soldados da mesma classe que a dele.

Angeal é carismático e muito forte, mas esconde um grande segredo e acaba por abandonar Zack quando Genesis aparece em uma de suas missões. Genesis revela a Zack, seu segredo, uma falha num experimento e ai então, Zack começa a enxergar que a Shinra não é assim tão boa quanto se diz ser.

A Shinra Company é um sonho de todo jovem adolescente, é praticamente um objetivo de vida a ser conquistado, porém poucos conseguem ver o que realmente se esconde nos bastidores da gigante da energia elétrica e Genesis é a prova ainda viva desse universo macabro que é financiado pela Shinra.

O game trás um sistema de batalha em tempo real. Algo feito de uma forma nunca vista na série anteriormente. A princípio é um pouco complicado, mas depois que se pega o jeito, torna-se bastante agradável. A estratégias que o game te obriga a montar também são bem inteligentes.

Além do sistema de missões extras, estas não tem nada a ver com a história do game, não liberam nada com relação ao desenvolvimento dele, mas para se obter as missões, é necessário se seguir a história e aos poucos novas missões são liberadas.

O problema desse esquema de missões é que o estilo RPG, com liberdade pra ir e vir a hora que quiser é quebrado no processo e o game acaba se tornando uma peça muito engessada. Outro problema é que com o tempo você notará que o sistema de batalha, apesar de incrivelmente dinâmico, acaba se revelando enjoativo. São sempre cenários que você percorre do ponto A ao B com inimigos no caminho. A história é o principal fator que reduz esse efeito enjoativo das batalhas.

Os summons do game ganharam animações CG em produção de excelente qualidade e que interagem durante as batalhas. Todos os summons possuem belas e atraentes animações e podem ser invocados durante a batalha se você conseguir liberar 3 imagens iguais nos slots que giram no canto superior esquerdo, o chamado sistema DMW (Digital Mind Waves).

Novo Sistema de Batalha

O DMW funciona com personagens com quem você se relacionou durante o percorrer da história e eventualmente todos serão trocados por summons, para realizar uma invocação, conforme mencionado acima. São três personagens q sempre acabam selecionados de forma aleatória no canto superior esquerdo da tela.

A diferente combinação de personagens, lhe oferece diferentes tipos de status, assim como os números selecionado (vão de 1 a 7). Quando o mesmo personagem é selecionado duas vezes, a batalha para e o DMW ocupa a tela inteira, deixando a expectativa de o mesmo personagem ser selecionado uma terceira vez e habilitar assim uma espécie de “limit break” especial.

Materia Fusion é outra das novas opções do game. Nessa opção você poderá fundir matérias e criar novas com habilidades além daquelas já oferecidas no game original Final Fantasy VII. Essa opção se tornará cada vez mais vital para que você possa atingir seus objetivos no decorrer das missões, isso por que a mesma habilita status únicos em suas matérias e servirá como uma opção altamente estratégica para suas batalhas.

O game possui cenas CGs ao nível de Final Fantasy VII: Advent Children e conta história de uma forma bastante enriquecida, tanto em som, quanto em imagem e animação.

"Incrível"
Crisis Core: Final Fantasy VII
O lado bom
  • O game possui gráficos excelentes.
  • Efeitos Sonoros muito bem trabalhados.
  • Cenas CGs impressionam.
  • Sistema de batalhas é excelente.
  • Sephiroth como um cara bonzinho é impagável.
O lado Ruim
  • Sistema de batalha apesar de excelente pode se tornar repetitivo.

Conclusão

Crisis Core Final Fantasy VII é definitivamente um marco na história da saga do game e trouxe muitas lágrimas a muitos fãs da franquia e sinceramente, espero que esta história seja recontata junto ao projeto do Remake de Final Fantasy VII que está em desenvolvimento pela Square Enix.

Comentários
Para comentar é necessário estar logado.
Celo
30/06/2019 22:04
Meu Senhor! Amo esse game!