Games sempre serão mais caros no Nintendo Switch?

O pesadelo que a Sony passou com o PSP e o PSVita é revivido pela Nintendo com o Switch, mas agora fica a dúvida, conseguirá a grande N reduzir esses custos
Marcelo Hillesheim
Publicado em 30/10/2019 20:50

Se você acompanha o mercado de games deve ter notado algo diferente nos preços do Nintendo Switch quando comparado a plataformas como PlayStation, Xbox e PC. Os preços do Switch são mais caros, no mesmo game. Eu vou te explicar o porque isso acontece e o porque talvez esse cenário jamais mude.

O problema é a mídia que carrega o software. A Nintendo escolheu criar a própria mídia para carregar seus games físicos, já vimos isso antes, não é mesmo Sony? 

Os donos do PlayStation Vita passaram pelo mesmo cenário. Os games do portátil da Sony vinham em mídia exclusiva e acabavam por custar mais caro para os gamers. A ideia é que após muitos games lançados, o preço para esses cartuchos caia, porém isso não aconteceu com a Sony que passou a incentivar as vendas online, assim como a Nintendo está fazendo.

Os games atuais, que são basicamente os que estão sendo lançados para o Nintendo Switch, ocupam uma grande quantidade de espaço, porém a Nintendo enfrentou um grande problema ao criar a própria mídia - o alto custo para criar uma memória em um formato que não existe no mercado.

A grande N criou sua mídia própria em 6 diferentes sabores (digamos assim), 1GB, 2GB, 4GB, 8GB, 16GB e 32GB. O problema é que quanto maior é o espaço consumido mais salgado fica para quem está publicando o game e é por isso que games como The Witcher 3: Wild Hunt possuem diferenças de tamanho no Switch e no PS4. Atualmente nenhum game da Nintendo consegue ultrapassar 32GB dentro de um único cartucho, se for maior que isso deverá ser vendido online ou ter custos ainda maiores, entregando dois cartuchos para um único game.

Um game enorme e belíssimo como The Legend of Zelda: Breath of the Wild ocupa 14,4 GB. Sim a Nintendo faz umas bruxarias para conseguir compactar seus games.

Com o tempo e com o sucesso inegável do Nintendo Switch, mais e mais cartões serão produzidos todos os meses e isso elevará a produção e a demanda, os tornando mais baratos. Porém essa não é nossa realidade e continuaremos a pagar mais caros por games no Switch do que nos outros consoles devido ao seu alto valor de produção.

Mas no final das contas isso somente deixará os games um pouco mais caros, não é mesmo? Não. Isso afeta na tomada de decisão das publicadoras de games em lançarem seus projetos para o Switch, pois alguém terá de arcar com a despesa inicial. Sabendo que para todas as plataformas serão lançados a U$ 59,90, incluindo o Switch, significa que a plataforma da Nintendo retornará menos lucro no lançamento, o que basicamente é a maior parte de toda venda do game. A empresa terá de deixar de lucrar uma fatia que, para nós pode não ter impacto nenhum, mas para eles será considerável.

No final do dia, temos muitos bons games que foram para plataformas como PlayStation 4, Xbox One, mas não vieram para o Nintendo Switch devido ao valor extra do cartucho da Nintendo.

A Sony no passado não conseguiu quebrar a barreira de suas mídias exclusivas. No PSP ela tentou incentivar o mercado do cinema a lançar seus filmes nos UMDs (mídia do PSP) com o objetivo de elevar a demanda e reduzir os custos, mas não obteve sucesso. No PS Vita se repetiu a barreira e agora a temos no Nintendo Switch.

O jeito é aguardarmos que a Nintendo consiga elevar a produção dos próximos anos para que seu próximo console consiga utilizar a mesma mídia e vir com os preços normalizados. Nesta geração eu não acredito que conseguirão reduzir esses custos. Pelo menos não ao ponto de normalizar todos os preços para todas as plataformas.

Comentários
Para comentar é necessário estar logado.
Nenhum Comentário Encontrado