Guerra comercial dos EUA e China pode beneficiar o Stadia

A Google sem querer pode se beneficiar dessa briga de braço dos dois países. Nintendo, Microsoft e Sony saem perdendo.
Leonardo Stein Antunes Santos
Publicado em 11/07/2019 15:20

Nós já comentamos aqui a guerra comercial entre os Estados Unidos e a China, como isso pode impactar nos negócios das empresas de games e consequentemente nas nossas vidas. Preços, lançamentos, investimentos, tudo ficaria mais complicado para ambos os lados (as empresas e nós, consumidores) visto que grande parte da produção é feita no país do Oriente Médio.

Entretanto, existe uma empresa que pode ter vantagem dessa guerra comercial, que tem vantagens caso as barreiras comerciais fossem levantadas: a Google.

Como já sabemos, a Google pretende lançar no segundo semestre desse ano a sua plataforma de games, o Stadia, atacando assim uma indústria de quase 140 bilhões de dólares concentradas em basicamente 3 grandes indústrias: a Sony, Microsoft e a Nintendo. Ela pretende, como sabemos, usar uma plataforma de streaming de jogos, onde a máquina de processamento (console) fica em servidores e a comunicação é feita toda via internet. Mas não bem sobre isso que vamos conversar hoje.

O benefício da Google em frente aos seus competidores, agora, pode ser resumido a guerra comercial. Enquanto as 3 empresas precisam fabricar e vender seus consoles (e aqui entra um fator importante: 96% dos seus consoles vem da China, o que significa que qualquer mudança no cenário entre os dois países pode significar problemas para as empresas), o Stadia pula essa etapa; necessitando apenas de servidores para fazer todo o processamento. Isso faz com que a empresa não precise investir pesadamente em hardware individual. Os preços não seriam tão afetados ao consumidor final, sendo mais baratos que a maioria (em tese).

O lado bom de um serviço de streaming como o Stadia oferece é a possibilidade de jogar em qualquer aparelho em qualquer lugar. O problema é justo a conexão de internet, que nem todas as pessoas têm acesso ilimitado ou uma conexão estável suficiente que permita que os jogos possam a ser jogados sem interrupções.

A coisa tomou uma proporção tão grande (como comentamos) que as 3 empresas (Sony, Microsoft e Nintendo) escreveram uma carta para a administração americana pedindo para que remova a importação de consoles americanos da China.

Mas a venda de consoles é tão lucrativa assim?

Em partes. O lucro vindo dos consoles é considerável, mas claro que a venda dos games em si também é importante para o financeiro da empresa (na verdade, o GRANDE montante vem da venda de jogos). Enquanto as empresas clássicas lucram nas duas “frentes”, o Stadia vem atacando um único lado de maneira mais forte: a venda de jogos. Investindo pesado nessa área que é muito mais independente do mercado chinês, a margem de lucro seria maior (e cobrando menos ainda, mais pessoas são atraídas para o Stadia. Uma cópia de, digamos, Assassin’s Creed Odyssey num servidor poderia ser suficiente para inúmeras pessoas jogarem, mas que ganharia um dinheiro “limpo”, sem se preocupar com transporte e produção da mídia física, apenas com a venda de um produto online.

A gente só pode esperar e ver o que pode acontecer. De um lado, se a guerra comercial continuar, a Google pode sair muito beneficiada. Por outro, ainda as conexões de internet podem ser um empecilho para a empresa. Se a Google sair vitoriosa nesse cenário, com certeza vai abalar as estruturas da indústria de jogos, mudando completamente o cenário para todo mundo.

Fonte: INC
Comentários
Para comentar é necessário estar logado.
leostsantos
11/07/2019 15:22
A Nintendo lançando o Switch Lite. A Google lançando o Stadia (que pode ser inclusive um portátil). =D Tava com saudades de ter games pra levar.